Tuesday, October 24, 2006

Quem se atrasar não pega mar

Uma madrugada que prenunciava uma manhã sublime com condições de mar excepcionais para mais uma descida no mundo azul da "Esmeralda do Atlântico". A excitação era grande e reinava o habitual espírito aventureiro entre o grupo de caçadores de imagens.
As palavras disciplinadoras do velho lobo do mar desdentado feito skipper de ocasião, tinham ecoado sóbrias e seguras na véspera: "quero vos aqui sem atrasos antes dos primeiros pio dos atobás !" ; "os golfinho não espera lá na baía deles !" ; "quem tiver bunda mole fica em terra !"
"tou farto de frescura de bicho soneca !" ; "quem se atrasar não pega mar!" .
Palavras sábias que foram tomadas à letra pela ululante turba da adição marinha.
Neptuno dixit !
A alvorada foi às cinco da madrugada e às seis já estávamos zarpando do cais com toda a parafernália necessária. Até os "bichos soneca" que só tinham conseguido adormecer depois da meia-noite, não faltaram à chamada e ainda que meio sonambulos, logo acordaram com os primeiros balanços da maré...
Após uma hora de arte de bem navegar, o velho lobo do mar deu a ordem.: "Larga o ferro Tonico !" e continuou "Toca a equipar e molhar a bunda galera !"
Iniciamos a lenta descida pela corda d'âncora até aos 15 metros e depois cada grupo escolheu o seu rumo, asseguradas as coordenadas de posição e o tempo de fundo que tinham sido previamente definidos.
Mais uma vez a extraordinária visibilidade - já às sete e meia da manhã - deixou-nos quase em meditação transcendental ! Uma benesse para os sentidos...uma sensação única de quase regresso às origens...
Decidimos seguir um cardume de xiras fusiformes, de listas amarelas deixando-nos ir com a corrente que embora fraca era perceptível. Seguiamos todos, nós as xiras e uma tartaruga de pente que se juntou ao grupo nadando à nossa volta curiosa, atraída pelas bolhas e pelos movimentos conhecidos dos "mamiferos mergulhantes".
Foi então que fiz sinal aos meus companheiros de percurso e me imobilizei à espera de "disparar" para recolher mais umas imagens daquela vida fabulosa .
Foi então que me calhou em sorte o colorido exemplar que deixo para vossa contemplação, uma vez que o património biológico a todos pertence e é digno de por todos ser admirado e preservado como precioso legado para as gerações futuras.
Satisfeito por ter recolhido mais um troféu digital, fui lembrado pela sinalética habitual entre a piratagem de fundo que estava na hora de começar a lenta ascensão em direcção à superfície regressando ao barco do mestre Marinho.
Aquelas palavras ainda ecoam.: "Quem se atrasar não pega mar !"

3 comments:

BroTTas said...

assim deixas-me cheio de vontade de perder o medo da agua e ir mergulhar... ja falei com o meu visinho que faz mergulho para ele ver quando e que fazem la o baptismo de mergulho... tou quase quase convencido a tentar... lol

Miudaaa said...

Quem se atrasar nao pega mar, não vive experiências, simplesmente fantásticas, não vê o que tantos e tantos de nós já não vimos, se não houvessem pessoas bonitas como tu, que partilhas e dás-nos a conhecer esse mundo enigamático, chamado fundo do mar.
Obrigada, meu Pirata!!!

Mar said...

Nessa pegada vc conseguiu exelente fotos. Precisamos acreditar que estas espécies estejam a passear no mesmo ponto.. daqui a 1000 anos?